Tópicos em alta: polícia / chuva / crise fiscal

Reportagem especial: Paraibuna, vida que corre

Conheça as muitas margens do rio em torno do qual Juiz de Fora nasceu e se desenvolveu, da nascente à foz

Por Tribuna

16/09/2018 às 07h00- Atualizada 19/09/2018 às 07h49

Ao longo dos últimos cinco meses, a Tribuna explorou o Rio Paraibuna desde a sua nascente, no município vizinho de Antônio Carlos, até o seu encontro com o Rio Paraíba do Sul, na cidade fluminense de Três Rios. O Pará y B’una, ou “Grande Rio de Águas Escuras”, como chamavam os habitantes indígenas originais, que por aqui passa e turbinou o progresso, é mais do que o bolsão de águas poluídas que os juiz-foranos habitualmente conhecem. Na verdade, o rio que por aqui passa garante o abastecimento de água e permitiu o crescimento de uma das mais importantes cidades do Sudeste brasileiro. Clique na imagem abaixo e conheça as suas muitas margens.

O conteúdo continua após o anúncio

Tópicos: memória / paraibuna

Receba nossa
Newsletter

As principais notícias do dia no seu e-mail



Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é dos autores das mensagens.
A Tribuna reserva-se o direito de excluir postagens que contenham insultos e ameaças a seus jornalistas, bem como xingamentos, injúrias e agressões a terceiros.



Leia também

Desenvolvido por Grupo Emedia